domingo, 11 de maio de 2008

O desatino da percepção.

Foi começando pelo fim que a vida tomou forma.
Parando pra pensar é que percebi os quatro cantos dessa esfera chamada Ramon.
À minha direita, senhora e senhores, lhes apresento o amor. À minha esquerda, tirem as crianças da sala, e dêem boa noite ao temido Sonho. No fundo do palco, meus amigos, está sentada a querida Razão. E finalmente, na minha frente, como todo o glamour voces pódem ver a Ambição.


Agradeço a presença de todos, esse publico maravilhoso chamado Realidade.
Preparem-se, porque o show vai começar. Encenamos esta noite a peça espetcular chamada Vida, escrita pelo próprio apresentador.
Tudo pode acontecer nesse show, a Ambição é ótima em seu papel, quando atua com o Sonho e com o Amor deixam escondida da cena a Razão. Até que alguém do publico Realidade grite seu nome e os holofotes direcionem para o fundo do palco.
Quando isso acontece a Ambição se desconcerta, o Sonho se desespera e o Amor sente a falta de introsação no palco. Mas o climax do espetáculo se dá no momento em quem os quatro atores se vêem de frente à Realidade com tal vontade de brilhar que o público se torna a parte principal da peça. Aí tudo vira festa.


E quando as luzes se apagarem?
É porque o show chegou ao fim.

4 comentários:

K. disse...

Você tem que escrever isso no céu pra que todo mundo veja!
Ficou genial esse post. Puta merda.
Eu pago pra você parar de fazer agronomia e ir pra uma escola sei lá onde de escritores!
hahahahaha
Ramon é artista!

Beijão fio.

Karina disse...

BRILHANTE!!!
quero o clímax e ver tudo virar festa...
simples assim...
bjo gato.

Capitain Giuseppe Mandragon Montilla disse...

veri gud, muito bom mesmo.
eu diria que no seu, ou melhor, no nosso caso a realidade é traduzida na música "Aminha vida é o rockn'roll"
viva a putaria...

J. disse...

só posso dizer que achei perfeito!
simples e complexo!

Ah...


Aqui é a Jana