domingo, 21 de dezembro de 2008

Os loucos morrem cedo

"Os louco morrem cedo."
Questinavel verdade. Porém, ao ouvir isso pela manhã, logo me veio à mente a seguinte supoição:
A vida se trata de uma passagem espiritual por um inferno ardente, com caminhos tortuosos e sem significado algum. Uma espécie de teste para a próxima etapa.
Como assim?
Simples!
Nos colocam nesse mundo para aprendermos alguma coisa, acredito eu, nesse contexto, ser a aprendizagem do "bon vivant".
Os malucos sentem logo de cara, vão atrás do prazer subto, da alegria inalcançável, dos momentos de prazer. Os malucos não querem esperar amanhecer, os malucos querem o agora!
E eles encontram, desfrutam da mais absoluta verdade, eles desfrutam de sensação.... da sensação de liberdade. Logo, eles passam rápido no teste, se tornam seniors nessa terra de mirins, se tornam deuses na dimensão dos pecadores.
Nisso vem a morte com sua foice afiada e seu capus preto. Chegou a hora, próxima etapa, próxima faze.. YOU WIN!!

Os caretas se reservam, vão devagar, com calma, com seus limites miopes. Os caretas, os normais, os "donos da verdade". Eles vivem muito mais, porque não atingiram o objetivo da vida, nao atingiram a meta estipulada, eles ficam zanzando pelo inferno com suas éticas, suas morais. Banais!
Eles ficam até a velhice. Eles falham!
Os que não conseguiram passar a fase aparecem nas capas dos jornais: "saúde e disposição", diz a manchete.
Mas na verdade eles só estão aqui porque ainda não alcançaram... ainda não gozaram do verdadeiro sentido dessa viagem mal sucedida. Eles vivem até descobrirem que o futuro não pertence à felicidade. Eles vivem até que entendam que na verdade a morte... a morte é o que nós realmente buscamos.

O suícida é outra história.. ele é um desistente, um mero coadjuvante nesse mundo que tem tudo que precisamos pra gozar da vida.

Vivam cada segundo a mil.
Vivam como se não houvesse o amanhã.
Vivam bem... vivem melhor.
Mesmo que isso signifique viver pouco!

Mas sintam cada batimento do seu coração.... até que ele pare!

Viver pouco não é a regra.
A regra é não ligar pra quantidade... mas viver a qualidade dos seus sentimentos.
Nada paga o prazer de ver nascer do sol na praia!
..................................



Dedicado à: Janis Joplin, Jim Morrison, Cazuza, Renato Russo, Jimi Hendrix, Raul Seixas e tantos outros malucos que foram embora mas continuam presentes em nosso dia-a-dia.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Me desconectaram da matrix.

26 dias sem internet em casa, sem comunicação virtual, sem longas conversas de msn, sem aquele vicio maldito de intercalar orkut com outras paginas sucessivamente, incessantemente, doentiamente.
O primeiro dia foi fácil.
O segundo dia foi chato.
O terceiro dia eu não aguentava mais os enlatados da tv, resolvi sair de casa!
Decisão tomada! Lá fui eu, primeiramente sozinho.
Encontrei um, dois... só dois.
Estranho, algum tempo sem ir ao bar e os frequentadores logo mudam.
Tudo bem, dois amigos de bar valem mais que quatro no AA.
Desce uma... duas... três... não sei quem pagou a quarta, acabei indo pra casa tarde.
Quarto dia cheguei em casa, liguei a TV, logo me bateu a depressão. Saí de novo, fui a outro antigo ponto de encontro, e tamanha foi a surpresa, haviam muitos conhecidos, amigos, parceiros de truco. Me excedi no horário, cheguei em casa já era tarde da madrugada. Fazer o que? "Pra quem é chegado, negar não é mole". Começou a sina!
No quinto dia nem me dei ao trabalho de ir pra casa, 18:00 horas fui direto pra rua. Como é bom encontrar antigos amigos. Lá sei foi mais uma noitada a fio.
No sexto, sétimo, oitavo e todos os outros até agora foi a mesma coisa.
Estou quebrado, com um puta sono, nem consigo digitar direito e meu celular ganhou 34 novos contatos.

Conclusão: A internet nos mantém em casa, bem informados, em segurança, com dinheiro dentro da carteira e uma média de repouso saudável.

Mas quer saber?
Vou indo embora.
Tem uma legião e amigos me esperando pra começar a sexta-feira!

"Boemia.. aqui me tens de regresso..."

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Chocolate

Ela não gosta de beber.
Nunca foi atraída pelo veneno alcoolico.
Prefere os olhos sóbrios pra não perder nenhum minuto de atenção. A janela da alma, ela crê que só assim pode enxergar a realidade.
Nunca deu um trago no cigarro, mantem virgem seus pulmões.
Respirar o que lhe dá a vida, ela crê, só assim pode viver pra ver o que vem depois.

Perguntei a ela quando vai viver o presente, quando vai viver o agora.
Todo mundo precisa de um pouco de emoção, todo mundo deve ter uma valvula de escape.
Ela me falou que mantém seu segredo no chocolate, que com ele consegue meditar.
Então fui mais a fundo, perguntei se ela não precisaria relaxar.


Sem pensar ela me respondeu o obvio:
"Sexo também é bom negócio... o melhor da vida é isso ócio"

Chegamos ao ponto comum.
Não importam os meios... a gente chega no mesmo fim.
Todo mundo gosta de viver.