quinta-feira, 26 de junho de 2008

Dá licença

Eu não pedi pra ser assim, eu já nasci no meio da confusão
Agora aparecem mil dedos apontados:
"Hei, garoto, você está na contra-mão!"

licença meu senhor, dá licença!
Eu não sou futuro de porra nenhuma.
Vocês querem que eu seja o salvador, vocês querem que eu salve a pátria amada, mas vocês querem que eu faça isso com a cabeça manipulada.
Um velho parasita, um estado sem noção, querem que eu seja certo, que eu pare de andar na contra-mão.
O que vocês querem eu faça é seguir o exemplo do passado:
"Cala a boca vagabundo, os pensadores serão enforcados"

Não!
Chega!
Pra mim isso não é vida.
Eu quero é fugir de tudo isso, eu só quero seguir minha sina.
Já cansei dessa merda, por isso nem leio mais o jornal.
É tudo propaganda estadista.
Querem que eu vá pra direita, querem que eu vá pra esquerda, querem decidir o rumo da minha vida.
Já parei de usar esse seu mapa, eu sei muito bem qual é o meu norte.
Chega, meus senhores, faz muito tempo que me lancei à sorte.
E o pior é que se eu tiver sorte mesmo, eu nem sei se passo dos trinta.

E vocês querem que eu me venda?
Querem que eu me renda?
Querem que eu ainda vote?

Ou vocês querem que eu me candidate???

Ah, dá licença!




Vou-me embora pra "Anarquinópolis".!

2 comentários:

J. disse...

eu quero, tb. Hj!

Vinicius Borelli disse...

licença você pede na prefeitura...

haha lembra dessa? ou vc nao era desse tempo?