quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Verso Livre

Esse beijo que me enlouquece
Meu bem, eu espero sinceramente
Que continue a me entorpecer, caliente
Causando essa eterna paixão de moleque

Eu espero também, meu bem
Que eu possa te fazer tão ou mais feliz
Quanto cada segundo que me mostra e me diz
Que serei do seu amor eterno refém

Pois venha então agora, pode entrar
A noite vem caindo e com ela o luar
Iluminará meus versos livres, de paixão

Pois a forma do amor pode ser assim
Não precisa ser reta do começo ao fim
Mesmo assimétrica é pura perfeição

Um comentário:

Kabs disse...

Vc curte um soneto hein? hehe