quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Parando pra pensar

Me perguntaram se abandonei a luta.

Onde estão o textos sobre revolução?
Sobre esperança?
Sobre luta pela liberdade?

Onde estão os gritos?

A verdade meu caro, é que acabou sendo muito mais paz e amor.
Hoje escrevo sobre a vida, o dia-a-dia.
Sobre a lua e o trago do cigarro. Acredito que construimos a revolução através dos passos que damos. E é isso que me toma noites, papeis e canetas.
O andar de um bebum, próximo a valeta, não é apenas um descaso com a sociedade.
É a poesia de verdade, nua, crua, feita de carne e osso.
Fígado, entranhas e o que mais for.

Escrevo sobre a solidão que me atormenta, sobre os amores que me acalmam(e atormentam).
Escrevo sobre amigos, sobre bares e seres vivos.
O mar, o por do sol... o tempo que consome o tempo.
Sobre tudo... escrevo sobre amor à tudo isso.
Por que é através dele que guiamos nossos passos, e é por esse caminho que chegaremos ao tão esperado sonho de liberdade.



Isso é sobre contos.
Isso é sobre a realidade.

E a bandeira continua asteada!

Um comentário:

variantes verdades disse...

A Revolução não vai passar na TV é verdade, ela passa nas cabeças e corações, passa nesse dia-a-dia (noite-a-noite) que vi nessas linhas, e essa reolução preconiza a mudança...

A luta, esta vem, sempre vem